nav-logo
Compartilhe

    Desidratação: conheça sintomas, riscos e saiba como se prevenir

    Condição pode causar sérios problemas de saúde, principalmente em crianças, idosos e pessoas com doenças crônicas

    Por Danielle SanchesPublicado em 28/11/2023, às 12:08 - Atualizado em 28/11/2023, às 15:29

    Desidratação

    Mais do que sentir sede ou beber pouca água, a desidratação é um problema sério que afeta a saúde quando o corpo perde mais líquidos do que recebe.   

    Continue a leitura para entender melhor esse quadro, suas causas e riscos e como prevenir esse problema tão comum em dias quentes e de calor excessivo. 

    O que é desidratação? 

    A desidratação é uma condição que ocorre quando o corpo perde mais água do que ingere. Isso pode acontecer quando não bebemos água suficiente para atender às necessidades do organismo; ou quando há uma perda excessiva de água, que pode ocorrer por meio da transpiração (suor), de vômitos ou diarreia, por exemplo.  

    Agendar consulta on-line

    Quais são os sintomas de desidratação? 

    Os sintomas de desidratação variam de acordo com o grau da condição. Os sintomas leves incluem:  

    • Sede excessiva; 
    • Boca seca e mucosas ressecadas; 
    • Urina concentrada (amarelo escuro); 
    • Fraqueza; 
    • Tontura.

    Se não tratada, a desidratação pode levar a sintomas mais graves como confusão mental, coma e choque.   

    O pode causar desidratação? 

    Várias situações podem levar à desidratação, incluindo:  

    • Exposição ao calor: climas quentes e atividades físicas intensas aumentam a necessidade de líquidos pois estimulam a produção de suor para que o corpo se refresque e não superaqueça. 
    • Baixo consumo de água: especialmente em dias quentes, o consumo de água insuficiente pode levar a quadros de desidratação. 
    • Doenças crônicas: diabetes e insuficiência renal são quadros que aumentam o risco para a perda de líquidos. 
    • Infecções: febre, diarreia e vômitos podem potencializar a perda de líquidos pelo corpo.  
    • Má alimentação: consumir alimentos ricos em sódio e cafeína pode contribuir para a perda de água pelo corpo.

    Quais são os riscos da desidratação para a saúde? 

    A desidratação pode provocar sintomas incômodos como câimbras e fraqueza muscular. Mas ela pode evoluir para problemas mais graves de saúde, como:  

    • Insolação (perda da capacidade do corpo em regular sua temperatura); 
    • Insuficiência renal (já que os rins ficam sobrecarregados ao tentar reter líquidos no corpo); 
    • Problemas cardíacos, como infarto, já que o coração precisa trabalhar mais para bombear sangue quando o organismo está desidratado.  

    Se o quadro não for tratado, a condição pode evoluir para o coma e para o choque, com potencial risco à vida.  

    Como prevenir a desidratação? 

    A principal forma de prevenir a desidratação é manter uma boa hidratação, ou seja, ingerir bastante água ao longo do dia, mesmo quando não sentir sede.  

    Para monitorar isso, basta analisar a cor da urina: se ela estiver clara, significa que o corpo está com bom nível de hidratação. Se estiver mais escura e concentrada, significa que os rins estão poupando líquidos — é necessário, portanto, beber mais água 

    Além disso, vale também reduzir o consumo de cafeína e álcool, que podem aumentar a perda de líquidos do corpo.  

    Outro ponto importante é que, em dias quentes, deve-se evitar a prática de atividade física ao ar livre para não estimular o suor em excesso, o que também pode favorecer quadros de desidratação. 

    Por fim, deve-se ter atenção especial com idosos e crianças, que possuem naturalmente uma dificuldade maior em regular a própria temperatura corporal.  

    Leia mais: você conhece os benefícios da água com gás?  

    Quantos litros de água devemos beber por dia? 

    A OMS (Organização Mundial da Saúde) orienta que, para saber a quantidade de água que deve beber por dia, a pessoa multiplique o seu peso atual por 35. Uma pessoa de 70 kg, por exemplo, deve consumir uma média de 2.450 ml de água (35 x 70 = 2.450).  

    Em geral, no entanto, adultos saudáveis e sem qualquer restrição devem beber de 2 a 3 litros de água por dia. Em dias de calor excessivo, esse valor pode aumentar.   

    Desidratação: quando procurar atendimento médico? 

    Alguns sinais de alerta indicam a necessidade de buscar ajuda médica imediatamente. São eles: 

    • Boca e mucosas excessivamente secas; 
    • Tontura intensa; 
    • Desmaio; 
    • Urina muito escura; 
    • Falta de ar; 
    • Dor no peito. 

    Vômitos e diarreia também são um quadro de saúde que rapidamente pode provocar desidratação em crianças e idosos. Por isso, a recomendação é buscar o pronto atendimento o quanto antes.  

    Dicas para cuidar da saúde no calor  

    Para se proteger dos riscos do calor excessivo, é importante tomar as seguintes medidas:  

    • Beba bastante água, mesmo que não sinta sede; 
    • Evite realizar atividades físicas ao ar livre durante os períodos mais quentes do dia (hora do almoço, por exemplo); 
    • Se o dia estiver muito quente, evite treinar ou se exercite apenas em ambientes climatizados com ar-condicionado; 
    • Use roupas leves e claras, que permitam a transpiração; 
    • Se possível, use poucas peças de roupa e de tecidos leves; 
    • Se for se expor ao sol, passe protetor solar com fator de proteção solar (FPS) de, no mínimo, 30; 
    • Fique em locais frescos e ventilados; 
    • Se estiver com calor, tome um banho frio; 
    • Evite bebidas alcoólicas e cafeína, pois podem aumentar a desidratação; 
    • Mantenha uma alimentação saudável, com alimentos leves e frescos, como frutas (como a melancia), verduras e legumes, além de sucos e líquidos como água de coco. 

    Agendar consulta on-line

    Fonte: Dr. Eduardo Lima, head de cardiologia do Hospital Nove de Julho (SP). 

    Encontrou a informação que procurava?
    nav-banner

    Veja também