nav-logo
Compartilhe

    Dor no fígado existe? Entenda o sintoma

    A maioria das doenças hepáticas, ou seja, que ocorrem no fígado, são silenciosas

    Fonte: Dra. Natalia TrevizoliMédica hepatologista do Hospital BrasíliaPublicado em 27/11/2023, às 18:39 - Atualizado em 28/11/2023, às 11:43

    dor no figado

    O fígado é um órgão localizado na parte superior direita do abdômen e é responsável por remover substâncias tóxicas do organismo e ajudar na digestão. Por não ter nervos sensoriais, a dor no fígado é bastante rara.  

    Apesar do órgão em si não doer, as cápsulas que envolvem o fígado, no entanto, possuem nervos, que podem gerar desconfortos na região.  

    Vale destacar que a maioria das doenças hepáticas, ou seja, que ocorrem no fígado, são silenciosas.  Continue a leitura para entender mais a importância do diagnóstico precoce e qual médico procurar quando há algo errado com o órgão.  

    Como é a dor no fígado?  

    No interior do fígado não há nervos, portanto o órgão não dói. Mesmo quando acometido por doenças graves como cirrose, insuficiência hepática ou hepatite C, o órgão não apresenta sinais de desconfortos.  

    Por isso, essas condições podem ser silenciosas ou os sintomas serem confundidos com outros problemas de saúde. 

    Agendar consulta on-line 

    O que pode causar dor no fígado? 

    As doenças agudas que cursam com rápido aumento de volume do fígado (hepatomegalia) podem causar dor no órgão. É o caso do câncer no fígado, principalmente quando sofre metástase, que é quando se espalha para outras regiões.

    Outras condições que podem levar à dor no fígado são as hepatites virais, especialmente suas formas agudas, e a congestão do fígado por doenças sistêmicas, como a insuficiência cardíaca.

    Isso acontece porque a cápsula do fígado é bastante enervada, ou seja, possui muitos nervos, e a sua distensão pode gerar desconfortos. 

    Gordura no fígado causa dor?  

    Não. O risco de a gordura no fígado se tornar uma condição grave é o fato de ela ser uma doença silenciosa e potencialmente perigosa, apesar de frequentemente não causar dor. Pode evoluir para cirrose e até câncer de fígado ao longo de anos, com poucos sintomas durante o avançar da doença.  

    Entre os sintomas, estão: dor na região abdominal, barriga inchada, dores de cabeça, cansaço, fraqueza e perda de apetite.   

    Como é feito o diagnóstico?  

    O diagnóstico das doenças do fígado inclui história clínica do paciente, avaliação dos sintomas e histórico de exposição a substâncias tóxicas, como álcool e medicações. O exame físico pode incluir a palpação do abdômen em busca de sensibilidade ou aumento do fígado. 

    Alguns exames laboratoriais, como sangue e urina, podem ser solicitados para avaliar a função hepática e identificar as possíveis lesões no fígado.

    Ainda podem ser realizados outros exames, como tomografia, ressonância magnética e elastografia hepática transitória (para avaliar a elasticidade do tecido do fígado e a quantidade de gordura presente).

    Em alguns casos, a biópsia hepática pode ser necessária. Isso é realizado para avaliar a gravidade e a causa da doença hepática. A amostra de tecido é examinada para identificar anormalidades e descartar o risco de um câncer no fígado.

    Qual médico procurar? 

    O médico hepatologista é o profissional habilitado e indicado para diagnosticar e tratar as doenças do fígado. 

    Agendar consulta on-line 

     

    Encontrou a informação que procurava?
    nav-banner

    Veja também